buscar
´

Passagens aéreas baratas: entenda o significado das empresas low cost no Brasil

A chegada das empresas aéreas low cost no País promete permitir mais viagens com passagens aéreas baratas. Esta prática que já bem conhecida em países desenvolvidos chega ao Brasil prometendo dar novos ares ao mercado de turismo nacional.

Viagem
1 mês atrás
Passagens aéreas baratas: entenda o significado das empresas low cost no Brasil
Fernando Frazão/Agência Brasil

O preço das passagens aéreas que já foram assustadoramente altos no passado, recentemente vem tendo uma boa queda, agora com a chegada das empresas aéreas low cost, a tendência é que a queda seja ainda maior no futuro.

Significado de low cost

Uma companhia aérea de baixo custo é conhecida como “low cost“, elas fornecem baixas tarifas eliminando custos derivados de serviços tradicionais oferecidos aos passageiros, baseando-se na simplicidade do serviço sem distinção de classes.

O conceito teve origem nos Estados Unidos e popularizou-se na Europa durante os anos noventa.

As companhias low cost têm um modelo baseado em custos unitários substancialmente inferiores relativamente ao outros tipos de companhias aéreas (tradicionais e charter), o que lhes permite praticar preços reduzidos, sendo esta a sua principal vantagem competitiva face às restantes companhias aéreas.

Os preços reduzidos apenas são possíveis devido à simplificação de processos de gestão e à oferta de um serviço com características simplificadas, em que a única preocupação é oferecer o transporte aéreo a baixo preço.

As low cost caracterizam-se pela aposta na utilização de aeroportos secundários, maior intensidade na utilização de aviões e tripulações, redução de custos de manutenção, mais lugares disponíveis por avião e tempos de paragem nos aeroportos reduzidos, permitindo obter uma redução de custos inferiores às tradicionais.

No Brasil, é possível fazer a compra de passagens desse tipo de companhia por meio de agência de viagens online. Atualmente, algumas companhias e fabricantes cogitam a possibilidade de transportar passageiros em pé.

Passagens aéreas baratas

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a operação de quatro delas no país, das quais duas operam voos regulares. A primeira foi a Norwegian. que ocupa a terceira posição entre as aéreas de baixo custo que operam no Continente Europeu. Ela recebeu autorização para operar em agosto de 2018 e, desde maio, voa na rota Londres-Rio de Janeiro.

A chilena Sky Airline, segunda a ser autorizada a voar no país, faz desde novembro de 2018 voos ligando o Brasil ao Chile, com as rotas Santiago-Guarulhos (SP) e Santiago-Galeão (RJ).

A Sky Airline pretende realizar, a partir de novembro, voos na rota Santiago-Florianópolis. A empresa será a primeira low cost a voar para o recém inaugurado aeroporto de Florianópolis. Em dezembro, a aérea deve também operar na rota Santiago-Salvador (BA), como início previsto para o dia 30.

Anac autorizou empresas de baixo custo a operarem no Brasil (foto: Divulgação Alesp)
Anac autorizou empresas de baixo custo a operarem no Brasil (foto: Divulgação Alesp)

A argentina FlyBondi iniciou voos ligando o país vizinho a São Paulo e Rio de Janeiro, nas rotas El Palomar-Guarulhos (SP) e El Palomar-Galeão (RJ). A aérea promete preços de 30% a 40% mais baixos do que os da concorrência. Em dezembro a empresa vai também ter voos para Florianópolis.

A subsidiária chilena da norte-americana JetSmart começa a voar, na rota Santiago-Salvador, a partir de dezembro. Em janeiro de 2020, a empresa começa a operar voos na rota Santiago-Foz do Iguaçu, e a partir de março para a operar na rota Santiago-Guarulhos.

Flybondi

Flybondi
Flybondi

A Flybondi, companhia aérea da Argentina, que adota o modelo low cost (baixo custo), começa a operar no Brasil a partir de outubro deste ano.

Segundo a Anac, a empresa iniciará suas atividades com três voos semanais entre as cidades de Buenos Aires e e do Rio de Janeiro.

A autorização para a Flybondi iniciar suas operações internacionais no Brasil foi concedida pela Anac, durante a 11ª Reunião da Diretoria Colegiada da Agência, no começo desta semana.

A medida é a última etapa para que uma empresa estrangeira inicie voos regulares no Brasil e permite que a companhia faça o registro das rotas e inicie a venda das passagens aéreas.

De acordo com a Anac, a Flybondi será a terceira empresa aérea low cost a voar no país, após o início das operações da chilena Sky Airline e da europeia Norwegian.

Sky Airline

Sky Airline
Sky Airline

Segundo o CEO da Sky Airline, a empresa pensa em tentar expandir o número de voos para o Brasil. “Nosso avião, não creio que chegue até o Recife, mas poderia chegar a Salvador, a Porto Alegre e vários outros destinos. Em Florianópolis vamos avaliar se pode ser por todo o ano ou somente na temporada de verão”, informou, destacando que em termos de base tem em seus planos montar uma base no Peru para ser utilizado como hub [centro de conexões de voos] da empresa.

O aprimoramento da legislação do setor e a tentativa de igualar a alíquota do ICMS do querosene da aviação (QAV) nos estados brasileiros também contribuíram para a redução de custos das empresas. Além disso, o governo está contando com a aprovação, na Câmara, do projeto de lei que trata da abertura de capital das empresas aéreas brasileiras.

“Possibilita que empresas como a Sky e a Norwegian, de baixo custo estabeleçam as suas bases aqui também no país para fazer inclusive voos regionais. Essas empresas podem vir dos seus países aqui para o Brasil, mas não podem fazer as interconexões regionais. Com essa abertura, poderiam ter as bases e se tornarem também empresas brasileiras, baixando o custo de voos regionais. Isso vai trazer mais competitividade para o setor e para o usuário”, contou.

O ministro destacou que já foi feito um esclarecimento com os parlamentares para a aprovação da medida. “Isso está pautado para quarta-feira [dia 7]. Espero que tenha quórum para colocar em votação. A gente fez uma boa conversa com os parlamentares mostrando os benefícios para o país. Outros países da Europa já utilizam isso, a Argentina conseguiu investimentos com essa abertura. Isso demonstra que é uma medida acertada”, apontou.

Para Luiz Rocha, presidente do RIOgaleão, consórcio que administra o aeroporto, com a expectativa de retomada do crescimento da economia brasileira, outras companhias podem seguir o caminho da Sky Airlines.

“Do ponto de vista de passageiros internacionais, na realidade, houve até um crescimento. Mesmo este ano, com a queda da economia, tivemos crescimento de passageiros internacionais. Estamos confiantes de que a retomada da economia vai permitir um aumento das frequências, assim como temos esperança que, para o próximo ano, também a low cost para a Europa seja confirmada”, observou.

Norwegian

Norwegian
Norwegian

A empresa é terceira maior entre as de baixo custo que operam no continente europeu, conhecidas como low cost. De acordo com o despacho da Anac, a Norwegian vai operar em território nacional como empresa de serviço de transporte aéreo internacional regular de passageiro, carga e mala postal.Esta foi a primeira empresa com este perfil autorizada a operar voos regulares no Brasil.

A empresa começou a operar voos internacionais entre Brasil e Europa em janeiro de 2019. Também há a possibilidade de a empresa pedir a liberação de voos entre Brasil e Argentina, onde a Norwegian já opera atualmente.

JetSmart

JetSmart
JetSmart

A Anac já aprovou a entrada da companhia aérea JetSmart no país. A empresa, de baixo custo (low cost), pertence ao fundo norte-americano Índigo Partners. De acordo com a agência, a JetSmart pretende iniciar a operação de rotas internacionais entre o Chile e o Brasil.

A aprovação diz respeito à subsidiária chilena da empresa. Antes, no final de agosto, a Anac já havia aprovado a autorização para a subsidiária argentina da empresa operar voos entre o Brasil e a Argentina.

“Além da JetSmart, outras quatro empresas de baixo custo vieram para o país desde a abertura de mercado com a desregulação da franquia de bagagem despachada, sendo que três empresas estrangeiras já ofertam passagens: a chilena Sky Airlines (partindo de Santiago para o Rio de Janeiro/RJ e para Guarulhos/SP desde novembro/2018); a europeia Norwegian (com a rota Londres-Galeão desde maio de 2019); e a argentina Flybondi (ofertando voos da Argentina para o Galeão e para Florianópolis com início a partir de outubro de 2019)”, informou a Anac.

Uma companhia aérea de baixo custo normalmente segue o seguinte modelo de negócio:

  • oferece apenas uma classe em seus aviões (não há as tradicionais classes econômica, executiva e primeira-classe);
  • usa apenas um tipo de aeronave (normalmente o Airbus A320 ou o Boeing 737), reduzindo custos de treinamento e de serviços associados;
  • oferece um sistema simples de tarifação (à medida que a capacidade do avião vai se esgotando em determinado voo, as tarifas aumentam, o que recompensa reservas com antecedência);
  • não se oferecem lugares marcados (reserva de lugar), encorajando os passageiros a embarcar o mais rápido possível;
  • são escolhidos aeroportos com custos mais baratos e menos congestionados, normalmente sendo aeroportos secundários;
  • prefere-se voar em horários não-preferenciais (muito cedo pela manhã ou noite avançada), reduzindo custos e evitando atrasos devido ao intenso tráfego aéreo;
  • os voos são vendidos separadamente para cada trecho, não sendo possível conexão, o que transfere ao passageiro o ônus de voos cancelados ou atrasos (a companhia vende bilhetes sem escalas intermediárias de conexão e não se responsabiliza por combinações feitas pelos
  • passageiros com outros voos da companhia ou de outra empresa);
  • ênfase na venda direta ao passageiros, especialmente pela Internet, evitando taxas e comissões pagas a agentes de viagem, operadoras turísticas e sistemas eletrônicos de reserva;
  • emissão preferencial de bilhetes eletrônicos ou viagem sem bilhete (apenas com número de reserva);
  • os funcionários exercem vários serviços, por exemplo, comissários de bordo também limpam o avião ou atendem os portões de embarque, o que reduz o custo com pessoal;
  • serviço de bordo gratuito é eliminado, sendo cobrado qualquer serviço diretamente do passageiro (bebidas, lanches, fones de ouvido);
  • agressiva política de redução do custo de combustível;
  • anuncia-se sempre preços separados, sem taxas de embarque e custos governamentais, fazendo com que o preço básico apareça sempre o mais baixo possível (exceto na União Europeia, onde é obrigatório anunciar o preço com todas as taxas).

Com informações da Agência Brasil [2] [3], Jornal Economico, Wiki, ANAC e G1.

Mapa turístico de Salvador na Bahia
O estado da Bahia é sem sombra de dúvidas um dos mais procurados pelos turistas quando o assunto é passeio pelo Brasil. Tanto os visitantes estrangeiros quanto os brasileiros...
Cataratas do Iguaçu celebra mais um ano como uma das Maravilhas da Natureza
O Brasil tem um espaço muito especial em Foz do Iguaçu, um verdadeiro ponto turístico onde qualquer viajante se sente admirado pela força da natureza, estou falando das...
Pontos turísticos de Florianópolis
A região sul brasileira é extremamente conhecida pelo seu clima mais frio, pontos turísticos belíssimos, gastronomia diferenciada, belas praias e pela belíssima arquitetura...
China inaugura aeroporto gigantesco e lindo
O aeroporto que se assemelha a uma estrela do mar, desenhado por Zaha Hadid, foi inaugurado dia 25 de setembro de 2019. O Beijing Daxing International Airport tem o tamanho...
As belezas de Foz do Iguaçu
O Brasil está repleto de belezas naturais espalhadas pelas suas terras. Mas sem sombra de dúvidas as atrações aquáticas (seja por mar ou por rios) são as mais procuradas por...

O Fusne é um site para quem ama internet, nós somos especializados em testar apps e tudo mais que envolve tecnologia. O que você vai encontrar por aqui é escrito por humanos, que vivem fazendo compras online, assim como você, então entende as suas dificuldades e felicidades nessas horas. O material do Fusne é testado várias e várias vezes pela equipe...